É possível reduzir meus custos mantendo um planejamento de compras baseado em estoque mínimo?

9-ago-2019

Atualmente, a manutenção de níveis de estoque elevados caiu em desuso nas organizações do setor produtivo. Isso ocorre porque os custos de armazenagem tornam-se cada vez mais altos e a disponibilidade de reposição estás bem mais ágil por parte de fornecedores, porém geralmente quem compra na urgência acaba não tendo muitas chances de negociação.

Por esse motivo, os gestores buscam formas de tornar os processos de compras mais eficientes e voltados para a redução de custos. Para saber mais como a sua empresa pode ser beneficiada, continue com a leitura deste artigo. Confira!

O que é o estoque mínimo?

O inventário tem profundo impacto no controle financeiro de uma empresa. Para diminuir a imobilização de capital, é possível adotar o estoque mínimo, que consiste na adoção do estoque de segurança e evita compras urgentes.

Esse é um patamar que marca a quantidade de mercadorias ou insumos que devem ser mantidos por segurança. Assim, é possível cobrir aumentos imprevistos e abastecer a produção em caso de atraso dos fornecedores.

Como o método Just In Time pode ajudar?

Você já ouviu falar do processo Just In Time? Essa é uma ferramenta de gestão que teve origem na Toyota e revolucionou o mercado japonês entre as décadas de 1960 e 1970. Hoje, essa é uma metodologia amplamente utilizada em todo o mundo e oferece resultados positivos.

Com isso, é possível reduzir os estoques de insumos, pois as compras são realizadas de acordo com a necessidade. O termo estoque mínimo também é utilizado para descrever esse processo que pode ser utilizado para o inventário de produtos acabados, que serão disponibilizados para a comercialização.

Como resultado, a empresa obtém diversos benefícios, como:

  • A possibilidade de realizar uma cotação com vários fornecedores;
  • Agrupar um relação de insumos ou matérias-primas a serem cotadas/compradas em conjunto e com isso melhorando a negociação;
  • A redução de desperdícios;
  • Diminuição dos erros de produção e retrabalho;
  • O aumento da qualidade dos produtos;
  • A redução de custos operacionais.

Qual é o papel dos sistemas de gestão?

A informatização da produção também é um fator que contribui para a formação do estoque. A principal razão é o registro de todas as requisições e pedidos de compra e venda realizadas pela empresa.

Com esses dados em mãos, o gestor é capaz de estimar a sua demanda periodicamente e planejar a sua produção com o objetivo de atendê-la sem a preocupação de paradas inesperadas por falta de materia-prima/insumos.

O acompanhamento através de informações de estoque mínimo também atua para programar as ordens de compra dos fornecedores. Desse modo, é possível planejar o fluxo constante de abastecimento somente quando o material é requisitado ou quanto atingem o nível de segurança.

Além de registrar a entrada e saída de materiais, um sistema de gestão mantém o histórico dos preços de aquisição de matérias-primas. Essa é uma vantagem que permite o cálculo preciso do custo de aquisição e a sua inclusão no preço de venda praticado.

Qual é o impacto do dimensionamento da demanda?

Analisar a demanda é uma das atividades mais importantes ao programar a produção e planejar as compras para a área produtiva. O comportamento do consumidor muda com frequência e é importante estar preparado para lidar com a oscilação nas vendas.

Portanto, o estoque mínimo contribui para que a empresa possa reagir rapidamente em caso de imprevistos e um súbito aumento na procura.

Por fim, toda a operação pode ser beneficiada com a adoção do estoque mínimo, em especial com a redução de custos através do tempo que se ganha para realizar as cotações junto aos fornecedores, levando em conta inclusive o tempo de entrega e a quantidade solicitada.

Esse assunto foi relevante para você? Acesse outros de nosso artigos e saiba mais!